Professora Ingedore Grunfeld Villaça Koch recebe título de Pesquisadora Emérita do CNPq

Professora Ingedore Grunfeld Villaça Koch recebe título de Pesquisadora Emérita do CNPq

Autor
Valério Paiva

FotosDivulgação Editora Contexto Edição de imagem Paulo Cavalheri

Professora Ingedore Grunfeld Villaça Koch

A professora Ingedore Grunfeld Villaça Koch, colaboradora do Departamento de Linguística do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Unicamp, será agraciada com o título de Pesquisadora Emérita do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) durante a entrega do prêmio edição 2017 do Prêmio Almirante Álvaro Alberto para a Ciência e Tecnologia.

Nascida em 1933 na pequena cidade alemã de Eisenbach, Ingedore Koch veio para o Brasil ainda criança com sua família antes da II Guerra Mundial. Graduada no ano de 1956 em direito pela Universidade de São Paulo, posteriormente se formou em letras pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Castro Alves em 1974. Em seguida realizou o mestrado e o doutorado em língua portuguesa na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Na PUC-SP começou sua carreira como professora no ensino superior entre 1976 e 1986, ano que ingressa no quadro da Universidade Estadual de Londrina. Também realiza nesse período o pós-doutorado na Universidade de Tubinga, na Alemanha.

Docente da Unicamp entre 1987 e 2003, Ingedore Koch titulou-se professora livre-docente em 1990 e professora-titular em 1999 em análise do discurso no IEL, onde implementou a área de lingüística textual e se notabiliza nacionalmente por suas investigações e publicações. Ingedore publicou mais de 20 livros, entre eles “Ler e Escrever: estratégias de produção textual”, “As tramas do texto”, “Ler e Compreender: os sentidos do texto” e “Referenciação e Discurso”, dentre outros. Também produziu mais de uma centena de capítulos de livros e artigos, participou de mais de 200 bancas de mestrados e doutorados e orientou e co-orientou dezenas de teses e dissertações na Unicamp e em outras instituições.

O título de Pesquisador Emérito do CNPq é concedido desde 2005 a pesquisadores brasileiros ou estrangeiros pelo conjunto de suas obras científico-tecnológica, e por seu renome junto à comunidade científica nacional. Além da professora Ingedore Koch, foram agraciados com o título de Pesquisador Emérito do CNPq os cientistas Ângelo Barbosa Monteiro Machado (UFMG), Fábio de Melo Sene (USP), Jorge de Lucas Junior (UNESP), Jorge Luiz Gross (UFRGS), José Arthur Giannotti (Cebrap), Luiz Carlos Bresser-Pereira (FGV), Othon Henry Leonardos (UnB), Ricardo de Araújo Kalid (UFSB) e Sandoval Carneiro Junior (UFRJ). Já o vencedor do Prêmio Almirante Álvaro Alberto para a Ciência e Tecnologia de 2017 foi o biólogo Samuel Goldenberg, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Concedido pelo CNPq em parceria com a Fundação Conrado Wessel e a Marinha do Brasil, o prêmio foi instituído em 1981 e constitui no reconhecimento e estímulo a pesquisadores e cientistas brasileiros que venham prestando relevante contribuição à ciência e à tecnologia do país.

A cerimônia de entrega dos títulos de Pesquisadores Eméritos do CNPq e do Prêmio Almirante Álvaro Alberto será realizada em maio, no auditório da Escola Naval da Marinha do Brasil, no Rio de Janeiro.






Acontece na Educação